Fala.BR
VLibras O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

O sistema Porto Sem Papel (PSP), criado em 2011 para facilitar a análise e a liberação de mercadorias nos portos brasileiros, foi modernizado e trouxe mais ganhos ao setor portuário. As mudanças aumentaram a eficiência da plataforma: além de simplificar a navegação do usuário, registros desnecessários foram eliminados e processos de consulta e armazenamento ganharam agilidade, possibilitando serviços melhores e mais eficientes.

O PSP é uma iniciativa do Ministério da Infraestrutura (MInfra), desenvolvida pelo Serpro, empresa de tecnologia do Governo Federal. A solução tecnológica unificou os formulários antes usados nos serviços portuários em uma só plataforma, o Documento Único Virtual (DUV). “A tecnologia facilita, agiliza e simplifica a vida de quem atua na área portuária, já que todas as informações compartilhadas sobre embarcações ficam disponíveis em uma base única de dados online, de forma segura e precisa”, afirmou o secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni.

A atualização da ferramenta permite aos agentes de navegação receber e visualizar pendências, além de executar tarefas de maneira mais simples, objetiva e rápida. Os usuários agora poderão definir filtros inteligentes de consultas, reduzindo o tempo para autorizações de atividades. Inclui, ainda, a eliminação de registros desnecessários, o que torna a consulta e o armazenamento de dados mais ágeis. Com a nova configuração, o processo de abertura de documentos eletrônicos no PSP foi reduzido, eliminando eventuais prejuízos na fiscalização e serviços mais seguros.

CODESA

As inovações implementadas no PSP foram verificadas e aplaudidas na área de programação de navios da CODESA, com ganhos em eficiência no serviço de atracação de navios. É o que garante o coordenador de Gestão e Programação Portuária (Cogpro), Leandro Cota de Lima. Segundo o coordenador, para aprovar uma atracação, é necessário uma checagem prévia de diversas situações, como por exemplo: as prescrições dos navios, as anuências das demais autoridades intervenientes, solicitação de documentos e o efetivo pagamento das tarifas portuárias. “Mas o Porto Sem Papel agiliza este processo, tornando-o mais objetivo, uma vez que concentra todas as autorizações na mesma plataforma, auxiliando assim a tomada de decisão por parte de Autoridade Portuária”, explica.

O que é o Porto sem Papel?

É um sistema que reúne informações e documentos necessários para agilizar a análise e liberação das embarcações nos portos brasileiros. Nele, o responsável pela embarcação, o armador ou a agência de navegação, disponibiliza as informações obrigatórias para atracação e desatracação das embarcações. Esses dados dão origem ao Documento Único Virtual (DUV). A partir do PSP, as autoridades portuárias e órgãos fiscalizadores conseguem averiguar o que foi informado.

Com informações da Assessoria Especial de Comunicação do Ministério da Infraestrutura


Coordenação de Comunicação da CODESA

 

Galeria

VTMIS

Conheça o Sistema de Informação e Gerenciamento do Tráfego de Embarcações (VTMIS)

Acesse agora
Video

Saiba mais sobre o Porto de Vitória