No segundo e último dia de atividades no Fórum Regional Sudeste Export 2022, que acontece em Vitória, a CODESA foi tema de duas palestras: “O Futuro do Porto de Vitória e novas perspectivas para o mercado” e “Case de Sucesso: CODESA, a primeira desestatização do setor portuário brasileiro”. O evento, aberto ontem, reúne agentes públicos e privados das áreas de logística e infraestrutura portuária do país.

O presidente da CODESA, Julio Castiglioni, abriu o encontro falando sobre “O Futuro do Porto de Vitória e novas perspectivas para o mercado”, após a desestatização da companhia, ocorrida em 30 de março, com o leilão na Bolsa de Valores de São Paulo, vencido pelo Fundo de Investimentos Quadra Capital. Castiglioni fez uma retrospectiva da privatização do porto e o valor de venda alcançado, acima de R$ 1,3 bilhão.

Segundo ele, com os investimentos previstos nos próximos anos, o Porto de Vitória vai “virar um canteiro de obras”, sobretudo em Capuaba, Vila Velha, e Barra do Riacho, Aracruz. “Isso se a concessionária entender o que porto está demandando, diante da necessidade do mercado. A ‘casa’ está em ordem, e o futuro depende de investimentos, sobretudo, em superestrutura”, pontuou para frisar em seguida: “Será preciso, por parte da concessionária, entender o desafio de gestão para não perder oportunidades”.

Ajustes

No painel seguinte, que debateu o “Case de Sucesso: CODESA, a primeira desestatização do setor portuário brasileiro”, os convidados abordaram a importância da privatização do Porto de Vitória para o país e as próximas etapas do projeto nacional de desestatização dos portos públicos, como São Sebastião e Santos, em São Paulo, e Itajaí, em Santa Catarina. 

Participaram do debate: Diogo Piloni (secretário Nacional de Portos), Patrícia Povoa Gravina (presidente da Comissão Permanente de Licitação de Arrendamentos Portuários da Antaq) e Sérgio Aquino (presidente da Federação Nacional das Operações Portuárias – Fenop). Eles foram unânimes em sublinhar a “retirada das amarras” burocráticas que impedem o desenvolvimento do segmento, mas ressaltaram também a necessidade de ajustes nas próximas desestatizações para o aprimoramento do processo, como a participação mais efetiva do setor portuário nos futuros leilões.

O diretor da CODESA, Bruno Fardin, esteve presente, além de vários colaboradores da companhia. Ao final do dia, no encerramento do evento, foi feita a leitura da Carta de Compromisso pelo presidente do Conselho do Sudeste Export, Mario Povia.

A abertura oficial do fórum Sudeste Export foi na noite dessa segunda-feira, 11, no Golden Tulip Hotel, em Vitória. Autoridades portuárias, gestores de Portos públicos e privados, órgãos intervenientes, empresários e especialistas participam do evento que, no primeiro dia, ofereceu uma visita técnica a Capuaba, em Vila Velha. Os visitantes conheceram o funcionamento da portaria inteligente, o centro de controle do VTMIS e acompanharam uma operação portuária no TVV.

Coordenação de Comunicação da CODESA

Galeria