Publicada em 04/04/2006

O calor das praias ou o clima ameno das montanhas? Quem visita o Espírito Santo pode escolher ou simplesmente aceitar a sugestão de conhecer os dois destinos. O Estado possui, em quase 400 quilômetros, dunas, rios, lagoas, cachoeiras, praias ensolaradas e uma natureza exuberante com orquídeas e bromélias, presentes na Mata Atlântica capixaba.

A cultura também chama a atenção de quem visita as terras capixabas. O congo junto às festas populares como a de São Benedito e a fé do povo cristão, representada na festa de Nossa Senhora da Penha, encantam quem vem de longe.

O Espírito Santo é o sexto estado do país onde o turismo tem maior relevância no PIB: cerca de 6%. Por ano, em média, aproximadamente três milhões de pessoas visitam o Estado. Só em janeiro deste ano, 676 mil turistas passaram pelas terras capixabas, 70% a mais que em 2005. Aqui, eles gastaram cerca de R$ 660 milhões. O setor emprega formalmente cerca de 26 mil pessoas.

Para o presidente executivo do Convention Bureau, Pedro Paulo Perim, o turismo no Espírito Santo possui uma boa colocação em relação aos outros estados brasileiros e ainda pode subir no ranking se souber usufruir do potencial turístico que tem.

“O potencial é enorme, mas a gente tem que transformá-lo em produtos. Algumas coisas estão sendo transformadas. Nós temos praias e montanhas juntas. No produto temos que ter atrações que segurem os turistas. Ele tem que gostar de shows, ter segurança, entretenimento. Nós temos que transformar as praias poluídas em um lugar que seja limpo, tenha segurança, banheiros públicos”, explica.

Segundo Perim, os balneários são o que mais atraem os turistas. Destaque para a capital e o balneário de Guarapari. Já na serra capixaba, as cidades de Domingos Martins e Venda Nova do Imigrante se destacam com o agroturismo.

No entanto, as belas paisagens não são os únicos atrativos. O turismo de negócios e eventos vem crescendo. De acordo com Perim, em 2005 foram realizados cerca de 57 médios e grandes eventos no Espírito Santo. O presidente do Convention Bureau ainda destaca que este tipo de turismo é mais vantajoso do que o de lazer.

“O turismo de eventos e de negócios tem uma vantagem porque o consumo é muito maior. A pessoa consome em média três vezes mais do que aquela que vem ao Estado a passeio e ainda gera o sub-produto. Se ele gosta volta com a família para passear”, assinala.

O coordenador do Conselho do Turismo da ONG Espírito Santo em Ação, Antônio Bispo, tem opinião semelhante, mas assinala que o Estado sabe aproveitar os dotes naturais para atrair visitantes.

“As rotas turísticas foram desenvolvidas para implementar roteiros e eu acho que em breve espaço de tempo estas rotas serão consolidadas. Não só na questão do litoral mas também das montanhas. A participação do turismo no PIB demonstra estes crescimento e as condições futuras de um posicionamento melhor em relação aos outros estado”, afirma.

Para profissionais que trabalham neste setor, melhorar a infra-estrutura, ampliar a qualificação profissional e promover os potenciais do Espírito Santo são algumas das ações que devem ser desenvolvidas para fortificar o turismo capixaba. Mas algumas ações já começam a ser concretizadas. A divulgação das belezas e potencialidades do Estado serão divulgadas ainda neste mês, quando o governo começa o plano de mídia, projeto que pretende divulgar o Espírito Santo em estados como o Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. (Redação Gazeta Rádios e Internet/Alexandra Vianna)

 

Galeria