Brasil
VLibras O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Exportação de café conilon pelo Porto de Vitória bate recorde histórico com embarque de mais de 715 mil sacas num único mês. Quase trinta anos depois, desde a grande safra de 1991, quando foram embarcadas 546.769 sacas, o café produzido e exportado pelo estado volta a ter destaque na balança comercial. Em junho deste ano, o volume exportado mais que dobrou em relação ao mesmo período do ano passado. Subiu 59,24% no comparativo com junho de 2019. Os dados constam no Relatório de Movimentação Mensal da CODESA.

A exportação de café marca, ainda, o início da retomada da movimentação portuária neste segundo semestre de 2020, conforme antecipou o diretor de Planejamento e Desenvolvimento da CODESA, Bruno Fardin, em reunião online, promovida pelas federações das Indústrias do Espírito Santo (Findes) e de Minas Gerais (Fiemg).

A exportação do maior volume mensal de café  pelo Porto de Vitória é resultado da boa safra do produto, mas, também, da melhoria da logística portuária. Com a liberação dos novos calados - a medida que as manobras testes são realizadas e aprovados os novos calados - sobe o volume de carga a embarcadas nos navios. Este ano a participação dos portos capixabas na exportação do produto foi de 13% da fatia nacional e, deste montante, o Porto de Vitória operou quase 60%.

Historicamente, o Porto de Vitória tem um papel fundamental na exportação do café no Brasil, já que o grão começou a ser fortemente exportado em meados do século XIX. A partir de 1860, com o surgimento da navegação interprovincial e com o crescimento das atividades do Porto de Vitória — à época ainda chamado de Cais do Imperador —, os benefícios foram logo observados para a economia capixaba.

 

28/08/2020

Coordenação de Comunicação da CODESA

Galeria

VTMIS

Conheça o Sistema de Informação e Gerenciamento do Tráfego de Embarcações (VTMIS)

Acesse agora
Video

Saiba mais sobre o Porto de Vitória