Brasil
VLibras O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

DUVIDAS SOBRE COVID -19

DUVIDAS GERAIS


DUVIDAS SOBRE COVID -19

1- O exame específico para detecção do novo coronavírus, o covid-19, será coberto pelos planos de saúde?

2- Quais as diferenças entre os testes disponíveis para detecção do covid-19?

3- Todos os beneficiários de planos de saúde terão direito a fazer o exame específico para detecção do covid-19?

4- Em que situações o paciente se enquadra na definição de caso suspeito da doença?

5- Em que situações o paciente se enquadra na definição de caso provável da doença?

6- Qual a diferença entre transmissão local e transmissão sustentada ou comunitária?

7- Qualquer beneficiário pode se dirigir a um laboratório para fazer o exame específico para detecção do covid-19 a ser coberto pelos planos?

8- O que devo fazer se estiver com os sintomas do coronavírus? Devo ir direto a uma emergência hospitalar?

9- Onde o exame específico para detecção do covid-19 deve ser realizado?

10- Meu exame para o covid-19 deu positivo, ou seja, tenho o vírus. Os planos de saúde cobrem o tratamento do novo coronavírus?

11- A ANS orienta a consultar minha operadora antes de me dirigir a hospitais ou outras unidades de saúde. Onde e como consigo fazer isso?

12- Tenho uma cirurgia marcada pelo meu plano de saúde. Ela está mantida ou devo adiar?

13- Em razão da epidemia e das medidas de isolamento social, recebi orientação para evitar a ida a ambulatórios, consultórios e hospitais. Há outras formas de ser atendido, já que tenho procedimentos médicos de rotina para manter?

14- Alguns pacientes contaminados pela covid-19 estão sendo orientados a fazer isolamento domiciliar. Em vários locais, as autoridades estão determinando outra medida de alcance geral: quarentena. Qual a diferença entre isolamento e quarentena?

15 - Os prazos máximos para atendimento aos beneficiários de planos de saúde mudam com o cenário do coronavírus?

 

O exame específico para detecção do novo coronavírus, o covid-19, será coberto pelos planos de saúde?

Sim, conforme protocolo e diretrizes definidas pelo Ministério da Saúde e de acordo com o estabelecido na resolução normativa n° 453, de 12/03/2020, da Agência Nacional e Saúde Suplementar (ANS).

O exame coberto obrigatoriamente pelos planos de saúde é o RT-PCR específico para detecção da covid-19. A resolução da ANS não abarca outros tipos de exames, como testes rápidos (sorologia).

Fontes: Ministério da Saúde e Agência Nacional de Saúde Suplementar

 

 

Quais as diferenças entre os testes disponíveis para detecção do covid-19?

Desde que a pandemia do coronavírus iniciou, surgiram diferentes possibilidades de testes para diagnóstico da COVID-19. Por conta disso, várias dúvidas podem surgir a respeito de qual teste seria mais adequado, qual a precisão de cada um e quais os significados dos termos técnicos utilizados. Confira:

RT-PCR – Molecular

RT-PCR (do inglês reverse-transcriptase polymerase chain reaction), é considerado o padrão-ouro no diagnóstico da COVID-19, cuja confirmação é obtida através da detecção do RNA (da molécula) do SARS-CoV-2 na amostra analisada, preferencialmente obtida de raspado de nasofaringe.

Se houver material genético do SARS-CoV-2 na amostra, sondas específicas detectam a sua presença e emitem um sinal, que é captado pelo equipamento em traduzido em resultado positivo.

A coleta deve ser realizada preferencialmente a partir do terceiro dia após o início dos sintomas e até o décimo dia, pois ao final desse período, a quantidade de RNA tende a diminuir. Ou seja, o teste RT-PCR identifica o vírus no período em que está ativo no organismo, tornando possível aplicar a conduta médica apropriada: internação, isolamento social ou outro procedimento pertinente para o caso em questão.

Sorologia

A sorologia, diferentemente da RT-PCR, verifica a resposta imunológica do corpo em relação ao vírus. Isso é feito a partir da detecção de anticorpos IgG e IgM (metodologia Quimioluminescência) em pessoas que foram expostas ao SARS-CoV-2. Nesse caso, o exame é realizado a partir da amostra de sangue do paciente.

Para que o teste tenha maior sensibilidade, é recomendado que seja realizado, pelo menos, 10 dias após o início dos sintomas. Isso se deve ao fato de que produção de anticorpos no organismo só ocorre depois de um período mínimo após a exposição ao vírus.

Realizar o teste de sorologia fora do período indicado pode resultar num resultado falso negativo. Por isso, para realizar o exame é necessário o pedido médico. Em caso de resultado negativo, uma nova coleta pode ser necessária, a critério médico. É importante ressaltar, ainda, que nem todas as pessoas que têm infecção por SARS-COV-2 desenvolvem anticorpos detectáveis pelas metodologias disponíveis, principalmente aquelas que apresentam quadros com sintomas leves ou não apresentam nenhum sintoma. Desse modo, podem haver resultados negativos na sorologia mesmo em pessoas que tiveram COVID-19 confirmada por PCR.

Testes rápidos

Estão disponíveis no mercado dois tipos de testes rápidos: de antígeno (que detectam proteínas “do” na fase de atividade da infecção) e os de anticorpos (que identificam uma resposta imunológica do corpo em relação ao vírus). A vantagem desses testes seria a obtenção de resultados rápidos para a decisão da conduta.

No entanto, a maioria dos testes rápidos existentes possuem sensibilidade e especificidade muito reduzidas em comparação as outras metodologias. O Ministério da Saúde aponta que os testes rápidos apresentam uma taxa de erro de 75% para resultados negativos, o que pode gerar insegurança e incerteza para interpretar um resultado negativo e determinar se o paciente em questão precisa ou não manter o isolamento social.

Como o teste rápido não possui a mesma sensibilidade que os demais métodos, é importante ter a orientação e o acompanhamento de um médico.

Os testes rápidos para COVID-19 são similares aos testes de farmácia para gravidez. No caso do teste para COVID-19, faz-se uso de uma lâmina de nitrocelulose (uma espécie de papel) que reage com a amostra e apresenta uma indicação visual em caso positivo.

Para não ficar na dúvida:

Quais são os exames que temos disponíveis?

Quais as principais diferenças?

Quando coletar? (Melhor período)

Em quanto tempo fica pronto?

Aceita convênio?

Qual valor particular (varia de laboratório)?

 

 

Todos os beneficiários de planos de saúde terão direito a fazer o exame específico para detecção do covid-19?

Não. De acordo com a diretriz da ANS, a cobertura do exame específico pelos planos de saúde é obrigatória apenas para casos classificados como suspeitos ou prováveis de doença pelo covid-19.

No entanto, com o agravamento da situação da covid-19 no país e em razão da impossibilidade de ampla testagem populacional, em 20/3, por meio da portaria n° 454, o Ministério da Saúde declarou todo o território nacional como sendo de transmissão comunitária (veja mais detalhes em item específico a seguir) da covid-19.

Nestes casos, os exames de detecção da doença são reservados apenas a pessoas internadas em grave condição de saúde.

Fontes: Agência Nacional de Saúde Suplementar e Ministério da Saúde

 

 

Em que situações o paciente se enquadra na definição de caso suspeito da doença?

Conforme protocolo e diretrizes definidas pelo Ministério da Saúde, há dois tipos de grupos de casos suspeitos.

O primeiro são pessoas com histórico de viagem para países com transmissão sustentada ou área com transmissão local nos últimos 14 dias. O segundo são pessoas que tenham tido contato com caso suspeito ou confirmado para covid-19 nos últimos 14 dias.

No primeiro caso, a pessoa tem que apresentar ocorrência de febre (acima de 37,8° C) e pelo menos um dos seguintes sinais ou sintomas respiratórios: tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, dispneia (falta de ar), saturação de oxigênio menor que 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal.

No segundo, a pessoa tem que apresentar ocorrência de febre (acima de 37,8° C) ou pelo menos um dos seguintes sinais ou sintomas respiratórios: tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, dispneia (falta de ar), saturação de oxigênio menor que 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal.

Fonte: Ministério da Saúde

 

 

Em que situações o paciente se enquadra na definição de caso provável da doença?

Conforme protocolo e diretrizes definidas pelo Ministério da Saúde, são considerados prováveis casos em que a pessoa tenha tido contato domiciliar com caso confirmado por covid-19 nos últimos 14 dias.

A pessoa tem que apresentar ocorrência de febre (acima de 37,8° C) ou pelo menos um dos seguintes sinais ou sintomas respiratórios: tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, dispneia (falta de ar), saturação de oxigênio menor que 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal.

Nesta situação, é importante observar a presença de outros sinais e sintomas como: fadiga, mialgia (dor muscular), artralgia (dor articular), dor de cabeça, calafrios, manchas vermelhas pelo corpo, gânglios linfáticos aumentados, diarreia, náusea, vômito, desidratação e inapetência (falta de apetite).

Fonte: Ministério da Saúde

 

 

Qual a diferença entre transmissão local e transmissão sustentada ou comunitária?

A transmissão é local quando o paciente infectado com o covid-19 não esteve em nenhum país com registro da doença. Neste caso, a doença foi contraída por meio de contato com outra pessoa infectada fora do país. Foi desta forma que o covid-19 chegou ao Brasil.

A transmissão sustentada ou comunitária ocorre quando uma pessoa que não esteve em nenhum país com registro da doença é infectada por outra pessoa que também não viajou.

A partir de 20/3, todo o território nacional passou a ser considerado em estado de transmissão comunitária da doença.

Fonte:  Ministério da Saúde (1) e (2)

 

 

Qualquer beneficiário pode se dirigir a um laboratório para fazer o exame específico para detecção do covid-19 a ser coberto pelos planos?

Não. Seguindo o estabelecido na resolução normativa n° 453, de 12/03/2020, da ANS, o exame específico será feito apenas nos casos em que houver indicação médica para casos classificados como suspeitos ou prováveis de doença pelo covid-19.

Mas, desde 20/3, quando todo território nacional foi considerado em estado de transmissão comunitária, a orientação do Ministério da Saúde é realizar o exame específico para o covid-19 apenas em casos graves de pacientes internados.

Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar e  Ministério da Saúde

 

 

O que devo fazer se estiver com sintomas do coronavírus? Devo ir direto a uma emergência hospitalar?

Em 80% dos casos, os sintomas do coronavírus são leves, semelhantes a uma gripe.

Nestes casos, se você tem uma coriza e mal-estar momentâneo, a orientação da Organização Mundial da Saúde é evitar sair de casa e aguardar. Alimente-se bem, mantenha-se hidratado e durma bem. Analgésicos e antitérmicos ajudam a aliviar o mal-estar.

Se apresentar febre e tosse, não espere agravar: procure o serviço de TELEMEDICINA 24h/ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAUDE (APS) do plano de saúde. Essa orientação vale para sempre que o paciente estiver em dúvida quanto a seu estado de saúde. Telefone da APS: (27) 2127-3363.

Caso você tenha alguma dificuldade respiratória (falta de ar), com ou sem febre, o seu caso é considerado grave! Procure imediatamente um serviço de emergência hospitalar. Você será submetido a alguns procedimentos e, havendo confirmação da doença, será encaminhado a um hospital de referência para tratamento. 

Hospitais de Referência do Plano

Fonte: Ministério da Saúde

 

Onde o exame específico para detecção do covid-19 deve ser realizado?

O beneficiário não deve se dirigir a laboratórios, hospitais ou outras unidades de saúde sem antes consultar o médico da TELEMEDICINA e APS da operadora de plano de saúde para encaminhamento, dentro dos critérios de realização de exame, a Hospital ou Laboratório credenciado ou para esclarecimento de dúvidas sobre diagnóstico ou tratamento da doença. Telefone da APS: (27) 2127-3363.

Seguindo orientações das autoridades sanitárias, a coleta de material para o exame, quando for o caso e se disponível, será feita em domicílio ou ambiente hospitalar, a fim de evitar contaminação de outras pessoas. 

Com a declaração, ocorrida em 20/3, de que todo o território nacional está em estado de transmissão comunitária, a orientação do Ministério da Saúde é realizar o exame específico para o covid-19 apenas em casos graves de pacientes internados.

Fontes: Agência Nacional de Saúde Suplementar e Ministério da Saúde

 

Meu exame para o covid-19 deu positivo, ou seja, tenho o vírus. Os planos de saúde cobrem o tratamento do novo coronavírus?

Importante registrar que não há tratamento específico para infecções causadas por coronavírus.

Em casos mais simples, pacientes infectados recebem medicação para aliviar os sintomas, como analgésicos e antitérmicos, com indicação também de repouso e ingestão de bastante água e líquidos, conforme protocolo do Ministério da Saúde.

A cobertura do tratamento a pacientes diagnosticados com covid-19 já é assegurada a beneficiários do plano de saúde.

Em casos indicados, isto é, de maior gravidade, o beneficiário terá direito a internação.

Fontes: Ministério da Saúde e Agência Nacional de Saúde Suplementar

 

 

A ANS orienta a consultar minha operadora antes de me dirigir a hospitais ou outras unidades de saúde. Onde e como consigo fazer isso?

 

 

Tenho uma cirurgia marcada pelo meu plano de saúde. Ela está mantida ou devo adiar?

A Agência Nacional de Saúde Suplementar orientou operadoras de planos de saúde a adiarem consultas, exames ou cirurgias que não se enquadrem em casos de urgência e emergência.

A medida visa liberar leitos para pacientes infectados pelo novo coronavírus, bem como evitar que pessoas saudáveis frequentem unidades de saúde e possam vir a se contaminar.

Mas se o seu caso for de urgência ou emergência, nada muda: o procedimento deverá ser realizado normalmente na Unidade Hospitalar ou Ambulatorial.

Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar

 

 

Em razão da epidemia e das medidas de isolamento social, recebi orientação para evitar a ida a ambulatórios, consultórios e hospitais. Há outras formas de ser atendido, já que tenho procedimentos médicos de rotina para manter?

Durante a pandemia da covid-19, a orientação das autoridades de saúde é que o paciente evite a ida a estabelecimentos de saúde. Agindo assim, ele reduz risco de se contaminar e, ao mesmo tempo, permite que mais recursos médicos e clínicos sejam reservados para o atendimento de quem está acometido pela doença.

Uma alternativa para quem precisa de atendimento é a telemedicina. O procedimento permite que os médicos atendam pacientes à distância, por meio de recursos tecnológicos.

A telemedicina foi autorizada no país, em caráter excepcional, pelo Ministério da Saúde, por meio da portaria n° 467, de 20/3/2020. A medida foi tomada em consonância com o Conselho Federal de Medicina, que reconheceu a possibilidade e a eticidade da utilização da telemedicina enquanto durarem as medidas de enfretamento ao coronavírus – a regulamentação em vigor data de 2002.

Em linhas gerais, a regulamentação prevê as seguintes modalidades de telemedicina: teleorientação (orientação à distância); telemonitoramento (supervisão à distância) e a teleinterconsulta (permite a troca de informações e opiniões entre médicos, para auxílio diagnóstico ou terapêutico), atendimento pré-clínicoatendimento de suporte assistencialatendimento de consulta e diagnóstico, por meio de tecnologia da informação e comunicação.

O plano disponibiliza o atendimento via TELEMEDICINA pela CLINICA DOC e há outros credenciados que também prestam este serviço por plataforma própria.

Fontes: Ministério da Saúde e Conselho Federal de Medicina

 

 

Alguns pacientes contaminados pela covid-19 estão sendo orientados a fazer isolamento domiciliar. Em vários locais, as autoridades estão determinando outra medida de alcance geral: quarentena. Qual a diferença entre isolamento e quarentena?

 Ambas são medidas de saúde pública, mas são diferentes.

No isolamento, há separação de pessoas, evitando a transmissão e propagação da infecção, mas não há controle de entrada e saída do local. São recomendações para pacientes com síndromes gripais.

Preferencialmente, o isolamento é em domicílio, mas, em casos mais graves, pode ocorrer em hospitais públicos ou privados. O prazo é de 14 dias, podendo se estender por até igual período, dependendo da evolução da doença.

Na quarentena, há restrição da movimentação das pessoas, podendo, em casos extremos, haver policiamento e controle ostensivo. O objetivo é reduzir a transmissão comunitária. A quarentena demanda um ato administrativo baseado em lei e pode ser adotada por prazo de até 40 dias ou estender-se por mais tempo.

Tanto num caso quanto no outro, medidas de isolamento social são as únicas atitudes, até o momento, capazes de conter a evolução da covid-19 e, consequentemente, reduzir o número de mortes. Então, mais que nunca, fique em casa!

Fontes: Ministério da Saúde

 

 

Os prazos máximos para atendimento aos beneficiários de planos de saúde mudam com o cenário do coronavírus?

Sim. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou a ampliação dos prazos máximos de atendimento de beneficiários em casos de realização de consultas, exames, terapias e cirurgias que não sejam consideradas urgentes.

Os objetivos são garantir que as operadoras de planos de saúde priorizem atendimentos a pacientes acometidos pela covid-19, reduzir a sobrecarga das unidades de saúde e evitar a exposição desnecessária de beneficiários ao risco de contaminação pelo novo coronavírus.

A medida passou a vigorar em 25/3, é válida em caráter excepcional e será reavaliada periodicamente pela ANS, que poderá fazer novas alterações a qualquer tempo, caso necessário.

É importante ressaltar que os beneficiários não serão prejudicados com a dilação destes prazos, na medida em que ficam garantidos tratamentos de urgência e emergência, assim como os prazos para casos em que os tratamentos não podem ser interrompidos ou adiados, por colocarem em risco a vida do paciente.

Enquadram nesta condição e, portanto, não terão seus prazos de atendimento afetados: relacionados a pré-natal, parto e puerpério; doentes crônicos; tratamentos continuados; revisões pós-operatórias; diagnóstico e terapias em oncologia, psiquiatria e aqueles tratamentos cuja não realização ou interrupção coloque em risco o paciente, conforme declaração do médico assistente (atestado).

Veja neste link como ficam os prazos a partir de agora.

Fonte: Agência Nacional de Saúde Suplementar

 


 


DUVIDAS GERAIS

1- Sou beneficiário. Como posso consultar minhas Despesas e Pagamentos do mês?

2- Sou prestador de serviço. Como posso consultar previsão de pagamentos?

3- Preciso fazer uma cirurgia eletiva. O que preciso fazer? Qual prazo para autorização?

4- E se eu precisar de uma cirurgia de  Urgência? Em quanto tempo será autorizado?

5 - Onde consulto o catálogo de credenciados?

6- Cartilha Portabilidade da ANS

7- Como posso trocar de plano sem cumprir carência?

8- Quais são as carências a serem cumpridas em caso de troca de plano?

9- Quero trocar de plano. Como escolher um?

10- Como posso consultar a vigência da minha documentação junto a Operadora? (Prestador OU Beneficiário)

11- Sou beneficiário. Tenho direito à remoção da minha casa para uma unidade Credenciada?

12- Qual contato e dia do médico do trabalho na Codesa? Quais empresas de Medicina do Trabalho são credenciadas da Codesa?

13- Sou aposentado. Quais documentos são necessários para o RECADASTRAMENTO ANUAL? E como envio a documentação?

 

Qual é a validade da GUIA AUTORIZADA PELA CODESA?

A validade é de 30 dias, podendo ser prorrogada pela Operadora mediante análise.
 
Posso solicitar autorização de consulta por e-mail? 
NÃO.
Todo processo de autorização da Operadora ocorre no sistema.
 
Para qual e-mail devo enviar minha dúvida? 
saude@codesa.gov.brfferreira@codesa.gov.br; esantos@codesa.gov.br
 
Qual é o telefone de contato para tirar dúvidas sobre o plano de saúde?    
(27) 3132-7357 ou 3132-7326
Em fins de semana ou fora do horário comercial podem enviar whatzapp para (27) 99889-8690 (somente mensagens).
 
Aposentados da CODESA podem utilizar o plano de saúde?
Se o cadastro já estiver ativo desde 18/01/2018 pode permanecer como aposentado, custeando 100% da tabela.
 
Quantas sessões de psicologia, psicoterapia ou psiquiatria são autorizadas:
A CODESA autoriza a realização de 40 sessões por ano. 
Caso necessário, o tratamento pode ser extendido mediante laudo do Psicólogo/Psiquiatra informando o motivo e a previsão de conclusão do mesmo, para análise e liberação da Auditoria Médica.
 
O que engloba uma consulta oftalmológica?
 A consulta oftalmológica inclui: anamnese, refração, inspeção e exame de pupilas, acuidade visual, retinoscopia e ceratometria, fundoscopia, biomicroscopia do segmento anterior, exame sumário de motilidade ocular e do senso cromático.
 
Qual é o tipo de acomodação em caso de internação?
 
APOSENTADOS e CÔNJUGE = Enfermaria.
EMPREGADOS e DEPENDENTES = Apartamento.
AGREGADOS E PAIS = Enfermaria.
 
A acomodação em Apartamento/Quarto com banheiro privativo tem o valor dos honorários médicos dobrado, conforme  Instruções Gerais contidas nas páginas 05 a 07 do catálogo CBHPM, conforme segue:
1.5 - Esta classificação constitui referência para acomodações hospitalares coletivas (enfermaria ou quartos com dois ou mais leitos)
6.2 - Para os planos superiores ofertados por operadoras, diferentemente do previsto no citado item 1.5, fica prevista a valoração do porte pelo dobro de sua quantificação, nos casos de pacientes internados em apartamento ou quarto privativo, em â??Day clinicâ? ou UTI. Não estão sujeitos às condições deste item os atos médicos do capítulo IV (Diagnósticos e Terapêuticos), exceto quando previsto em observações específicas do Capítulo.
 
Como posso ter acesso à rede credenciada?
 
 
 
 
Quem tem direito a acompanhante durante o período de internação?
Os menores de 18 anos, os maiores de 60 anos e a gestante nos período do pré parto, parto e pós parto imediato.
 Artigo 12 da Lei n.º 9656/98 e Resolução Normativa n.º 167/08
 
 
Há diferença entre atendimento de urgência e de emergência?
 Caracteriza-se como urgência os atendimentos resultantes de acidentes pessoais ou de complicações no processo gestacional. Atendimentos de emergência são os que implicarem em risco imediato de vida ou lesões irreparáveis para o paciente e deverá ser caracterizada por declaração do médico assistente.
 
 
Qual o prazo para consulta de retorno?
Consulta de retorno caracteriza quando o paciente necessita retornar ao médico para apresentar exames solicitados por este na consulta inicial.
 
De acordo com a resolução nº 1958/2010 do Conselho Federal de Medicina (CFM) consulta de retorno não pode ser cobrada, mas quem especifica o prazo é o médico.
 
Logo, o prazo a ser marcado para a  consulta de retorno deve ser coerente com os exames solicitados pelo médico, uma vez que há exames que demoram até mais de 30 dias para serem realizados.
 
Leia a Resolução 1958/2010 do CFM na íntegra.
 
 
 Qual o contato e o dia do médico do trabalho na Codesa?
 
 Um médico do trabalho atua in company para análise de atestados médicos nos seguintes dias:
 

  Unidade de Administração e Negócios - Enseada do Suá

  Toda segunda-feira, de 08h às 12h
  (27) 3132-7326 - Plano de Saúde
 
  Unidade Operacional - Capuaba
  Toda quarta-feira, de 08h às 12h
  (27) 3132-7361 - Sala do médico
 
 
  Empresas de Medicina do Trabalho credenciadas para realização de PCMSO, mediante agendamento pelo RH:
  
  CHECKUP EXECUTIVE
  Rodovia BR 101-Norte - Anexo ao Hospital Vitória Apart - Rosário de Fátima - Serra - ES - CEP 29161-900
  Telefone: (27) 3348-5481
 
  CIPE PREVENÇÃO E DIAGNOSTICO OCUPACIONAL
  Av. Vitória, 1973- Loja 02 e 04 - Próximo ao IFES - Nazareth - Vitória - ES - CEP 29041-230
  Telefone: (27) 3223-6408   
 
  VETOR
  Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, 2799 - Próximo ao Instituto Braile - Praia do Suá - Vitória - ES- CEP 29052-155 
  Telefone: (27) 3227-3997
 
 
Sou aposentado. Quais documentos são necessários para o RECADASTRAMENTO ANUAL? E como envio a documentação?
Para o RECADASTRAMENTO ANUAL OBRIGATÓRIO, o aposentado precisa enviar os documentos abaixo:
a) TERMO DE ADESÃO, preenchido, datado e assinado pelo TITULAR. Clique para baixar o Termo;
b) HISTÓRICO DE CRÉDITO DO INSS do mês de atual.
     Este comprovante pode ser adquirido junto ao INSS (presencial ou site), pelo aplicativo ou no caixa automático do Banco do Brasil;
c) AUTORIZAÇÃO DE DÉBITO AUTOMÁTICO, preenchido com os dados bancários do TITULAR no Banco do Brasil, caso o último desconto tenha ocorrido        há mais de 90 dias. Certifique junto ao Banco do Brasil se a autorização está ativa ou não.
    O documento precisa ser datado e assinado pelo TITULAR e pelo gerente da Agência Bancária;
d) COMPROVANTE DE ATIVAÇÃO DO DÉBITO AUTOMÁTICO. Este comprovante é um extrato emitido pelo banco (gerente
   ou caixa automático) que comprova a ativação do débito automático na conta do titular;
e) COMPROVANTE ATUALIZADO DE ENDEREÇO E CONTATOS.
f) COMPROVANTE DE TUTELA ATUALIZADO E CPF/CI do responsável, no caso do TITULAR estar impossibilitado de assinar documentos.
g) Em alguns casos a Operadora poderá solicitar CÓPIA DO CPF/CI/INSS DO TITULAR.
 
Durante a pandemia, os documentos devem ser escaneados e enviados para o email fferreira@codesa.gov.br.
Para facilitar, no assunto do email informe: RECADASTRAMENTO DE APOSENTADO + NOME + MATRICULA
 
 
 
 Qual a tabela praticada?
VIGÊNCIA: a partir de 04/04/2016  (encerrada)
 
Consultas eletivas: R$ 80,00
 
Pronto Socorro (PS): R$ 75,00 + taxas conforme CBHPM
 
Especialidades (Eletiva): R$ 100,00
Pediatria (ELETIVO E PS), Psiquiatria, Reumatologia, Clínico Geral, Geriatria e Homeopatia
 
Filme: R$ 21,70
 
HONORÁRIOS MÉDICOS: CBHPM 3ª edição:
                                                 PORTES  + 27,56%
                                                 UCO         + 15,63% 

 

SADT : CBHPM 3ª edição:
                       PORTES E UCO + 7,295% .
 
LABORATORIAL ANATOMIA PATOLOGICA (SADT) :
CBHPM 3ª edição +45%
 
 
PROCEDIMENTOS DO NOVO ROL FORA DA CBHPM 3ª edição:
valorar pela 5ª Ed.  PLENA. 
                            
 
MATERIAIS           - SIMPRO +32%
MEDICAMENTOS  - BRASÍNDICE +32%
Referência: 31/03/2016 
 
Portes Anestésicos:
Porte 1 - R$ 97,77
Porte 2 - R$ 142,20
Porte 3 - R$ 210,00
Porte 4 - R$ 311,08
Porte 5 - R$ 481,08
Porte 6 - R$ 672,16
Porte 7 - R$ 955,47
Porte 8 - R$ 1.261,01
 
 
 
Dados para faturamento:
Companhia Docas do Espírito Santo
Coordenação de Recursos Humanos - Plano de Saúde
Rua Izidro Benezath, 48 - Enseada - Vitória - ES
CEP 29010-945
CNPJ 27.316.538/0001-66
ANS 41650-9
 
 
Tabela de Descontos:
Pessoa Física  : INSS - 20%
Teto máximo: R$ 513,01
 
Pessoa Jurídica: IRPJ      -   1,20%
                          CSSL    -   1,00%
                          COFINS -   3,00%
                          PIS        -   0,65%  
 
Faixa Desconto IRPF - 2014
 
 Limite de Isenção - R$ 1.787,77
 
Limite                 |               Percentual       |        Desconto
R$ 2.679,29                               7,50                     R$ 134,08
R$ 3.572,43                             15,00                     R$ 335,03
R$ 4.463,81                             22,50                     R$ 602,96
 acima R$ 4.463,81                 27,50                     R$ 826,15
VTMIS

Conheça o Sistema de Informação e Gerenciamento do Tráfego de Embarcações (VTMIS)

Acesse agora
Video

Saiba mais sobre o Porto de Vitória